Biografia

Celebrado como atração do Free Jazz e do Chivas Jazz Festival, aplaudido como integrante do grupo Cama de Gato, com participação em inúmeros discos brasileiros, o flautista e saxofonista Mauro Senise é o melhor exemplo de que música instrumental é sucesso no Brasil.

 

Mauro Senise com a professora Odette Ernest Dias
com a professora Odette Ernest Dias

Senise, nascido em maio de 1950, no Rio de Janeiro, neto do pensador Alceu Amoroso Lima, começou sua carreira nos anos 70. Estudou flauta clássica com Odette Ernest Dias e sax com Paulo Moura dois mestres que Mauro reconhece como fundamentais em sua carreira. Durante muitos anos tocou e gravou com outros grandes mestres como Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, Wagner Tiso e Luis Eça. Já gravou também com todos os grande nomes da MPB. Mas ser solista sempre foi seu objetivo.

 

No início da carreira, Senise fez parte do grupo Mandengo, junto com Tomás Improta, Tony Botelho, Raul Mascarenhas, Barrozinho e Duduka da Fonseca. Depois disso, gravou dois discos, como convidado especial, com o Grupo Um, formado por Lelo Nazário, Zé Eduardo Nazário e Zeca Assumpção. Fundou o grupo Alquimia, com Robertinho Silva, Zeca Assumpção e André Delquech. Entre 1974 e 1978, fez parte da Rio Jazz Orquestra.

Quinteto Pixinguinha
Quinteto Pixinguinha

 

Ao longo de sua carreira, Mauro Senise tocou com alguns dos maiores representantes da música instrumental brasileira, entre eles Robertinho Silva, Romero Lubambo, Nilson Matta, Luiz Alves, Hugo Fattoruso, Nenê, Osmar Milito, Antonio Adolfo, Marinho Boffa, Toninho Horta, Victor Assis Brasil, Rui Quaresma, Cristóvão Bastos, Helvius Vilela, Wanderley Pereira, Alberto Chimelli, Nelson Faria, Ricardo Costa, André Tandeta, Bruce Henry, Eloir de Moraes, Nelson Ayres, Marcio Montarroyos, Fernando Moraes, Dario Galante, Idriss Boudriouha, Vittor Santos, Maurtício Einhorn, Marcelo Martins, Nivaldo Ornellas, Marcos Nimrichter, Ivan Conti, Paulinho Trumpete, Paulo Russo, Itamar Assiere, Jota Moraes, Arthur Maia, Rique Pantoja, Alberto Continentino, Pascoal Meirelles, Mingo Araújo, André Neiva, Gilson Peranzzetta, Gabriel Geszti, Zeca Assumpção, Rodrigo Villa, Leo Amuedo, Lelo Nazário e Zé Eduardo Nazário.

Cama de Gato, fundado por Mauro e Pascoal Meirelles. Jota Moraes, Mingo Araújo e Andre Neiva completam a formação atual
Cama de Gato, fundado por Mauro e Pascoal Meirelles. Jota Moraes, Mingo Araújo e Andre Neiva completam a formação atual.

Ganhou inúmeros prêmios, dentre eles o troféu Playboy e o prêmio Brahma Extra de Revelação Instrumental pelo conjunto da sua obra. Apresentou-se por toda a Europa com Egberto Gismonti e na Espanha, França, Bélgica e Estados Unidos com o Cama de Gato. Com este grupo tem seis CDs lançados.

Juntamente com Rosana Lanzelotte (cravo) e David Chew (cello), Mauro mantém um trio erudito que apresenta peças de Bach, Handel, Telemann, Mozart, Villa-Lobos e de outros grandes compositores.

Mauro Senise com Gilson Peranzzetta
com Gilson Peranzzetta

Em 1988, Mauro gravou seu primeiro disco solo, Mauro Senise, e no ano seguinte, o segundo, Jade. Em parceria com o compositor, pianista e arranjador Gilson Peranzzetta, lançou mais dois CDs: Uma Parte de Nós e Vera Cruz. Em 1995, Mauro gravou em Nova York, em duo com o excelente violonista e guitarrista Romero Lubambo, um álbum com standards da música popular brasileira, além de composições de Romero e Nilson Matta, que tem participação especial no disco.

 

Ainda em 1995, Senise gravou com o também saxofonista Raul Mascarenhas o CD Pressão Alta, lançado em janeiro de 1997. Em outubro do mesmo ano, Mauro se apresenta no 12º Free Jazz F Festival, ao lado de Raul, obtendo calorosos elogios da crítica e do publico.

 

Em 2002, após a participação do Cama de Gato no Festival de Aruba, o grupo lançou seu sexto CD, Água de Chuva.

 

Em agosto de 1998, foi convidado para o Kuhmo Chamber Music Festival, na Finlandia, sendo solista de peças de Radamés Gnatalli e Villa-Lobos.

 

Em maio de 1999 lançou seu sétimo CD solo, Virtuoso.

 

Em agosto de 2000, lança o CD Quinteto Pixinguinha, do grupo formado em 1973, do qual é fundador, juntamente com o flautista Kim Ribeiro. Do grupo também fazem parte Andrea Ernest Dias, Franklin da Flauta e Raimundo Nicioli.

 

Ainda neste ano, é convidado para participar do Projeto Aquarius como solista da Orquestra Sinfônica Brasileira, em concerto para mais de 20 mil pessoas no Forte de Copacabana. Mauro já participou, como solista, de oito espetáculos do Projeto Aquarius, dentre eles o concerto Geroge Martin e a Música dos Beatles, com o produtor e arranjador de todos os discos do famoso quarteto de Liverpool. Este espetáculo reuniu um público de mais de 100 mil pessoas na Quinta da Boa Vista.

 

Há dez anos, Senise vem participando, também como solista, do Rio International Cello Encounter, evento que tem reunido os melhores instrumentistas nacionais e internacionais.

 

Em junho de 2000, Mauro fez o espetáculo de abertura do 53º Congresso Internacional de Jornalismo, o WAN 2000, que reuniu mais de 3 mil jornalistas do mundo inteiro no Rio de Janeiro, no primeiro congresso da entidade realizado na América Latina.

 

Em junho de 2001, Senise lança o CD Dançando nas Nuvens, com o seu quarteto, obtendo muito sucesso por parte da crítica. Os shows de lançamento deste CD, no Mistura Fina, superlotaram a casa.

Também em junho deste mesmo ano, Mauro Senise Quarteto é convidado para participar do 2º Chivas Jazz Festival, no Rio e em São Paulo, junto com os maiores nomes do jazz atual. O Mauro Senise Quarteto foi apontado pela crítica como um dos destaques do festival.

 

Em outubro de 2001, Senise se apresentou em Nova York com Romero Lubambo, Nilson Matta, Duduka da Fonseca e Hélio Alves. No Rio, junto com o Trio da Paz, se apresentou ao lado do pianista americano Kenny Barron.

 

Em abril de 2002, Mauro lança mais um CD solo, Vênus, reunindo composições brasileiras com nome de mulher compostas por alguns dos maiores nomes da nossa música (Tom Jobim, Edu Lobo, Dorival Caymmi, Gilson Peranzzetta, Pixinguinha e Ari Barroso, entre outros). Com arranjos de Gilson Peranzzetta, Roberto Araújo, Jota Moraes e Vittor Santos, Vênus marca o auge da carreira fonográfica de Mauro Senise.

 

Em maio de 2002, Mauro se apresentou no Lincoln Center, em Nova York, no espetáculo The Music by Pixinguinha, dirigido pelo violonista Romero Lubambo, com participação do próprio Romero, de Nilson Matta, Duduka da Fonseca, Sérgio Brandão e Cyro Baptista, e participação especial de Paula Robison, uma das principais flautistas clássicas americanas. Foram três dias de casa lotada, com críticas entusiasmadas das publicações americanas.

 

Em 2004, Senise lança o CD Frente a Frente, o terceiro em duo com Gilson Peranzzetta.

 

Em 2005, lança o disco Tempo Caboclo, onde convida o arranjador, pianista, vibrafonista e compositor Jota Moraes. O CD reúne obras de compositores clássicos brasileiros com arranjos modernos e instrumentação inusitada. Tempo Caboclo foi indicado para o Grammy Latino 2006 na categoria Música Clássica. Em 2005 ainda, Mauro lança também “Extra de Vários”, disco gravado com Gilson Peranzzetta e David Chew, reunindo peças de Bach, Beethoven, Villa-Lobos, Debussy, Brahms, Chopin e Scriabin, entre outros.
Neste mesmo ano, faz turnê com o grupo Cama de Gato pela Europa, se apresentando no Malta Jazz Festival, na ilha de Malta, e no Jazz at Juan, em Juan Les Pins, na França.

 

Mauro Senise com Edu Logo
com Edu Lobo

 

Em 2006, Mauro comemora 35 anos de carreira e lança pela Biscoito Fino o novo CD, “Casa Forte – Mauro Senise toca Edu Lobo”, só com músicas do grande mestre. Edu Lobo faz participação especial em “Canção do Amanhecer”. Os arranjos são de Gilson Peranzzetta. Em 2007, lança seu primeiro DVD, “Casa Forte – Mauro Senise toca Edu Lobo”, gravado ao vivo na Sala Cecília Meireles durante o lançamento do CD homônimo.

 

Em 2008, Mauro lança “Êxtase”, o quarto CD do duo que mantém com Gilson Peranzzetta. E também “Caixa de Música”, disco gravado com o pianista Kiko Continentino e o guitarrista Leonardo Amuedo.

 

Mauro Senise com Sueli Costa
com Sueli Costa

Em maio de 2009, Senise lança na Sala Cecília Meireles, no Rio, mais um projeto pela Biscoito Fino, o disco “Lua Cheia”, reunindo composições de Dolores Duran e Sueli Costa, com arranjos de Gilson Peranzzetta. Este CD foi indicado para o Grammy Latino 2009 na categoria Melhor CD Instrumental.

 

Em 2010, Mauro lança o CD “Melodia Sentimental” (Biscoito Fino), com Peranzzetta e a harpista Silvia Braga. O repertório reúne peças de Debussy, Ravel, Villa-Lobos, Bach, Tom Jobim, Ivan Lins, Peranzzetta, Cristóvão Bastos e Ary Barroso.

Ainda em 2010, comemorando os 20 anos de parceria, o duo Peranzzetta – Senise lança o CD “Linha de Passe” (Biscoito Fino), só com standards da música popular brasileira.

 

Também com Peranzzetta, Mauro lança em 2011 os CD e DVD “100 Anos de Noel Rosa”, uma releitura da obra do Poeta da Vila, com participação de Alaíde Costa, Zeca Assumpção, Amoy Ribas e do Quarteto Bessler.

Neste mesmo ano, Senise foi um dos solistas da orquestra holandesa Metropole num concerto em Amsterdam, em homenagem à música de Edu Lobo, com a participação do compositor e de Peranzzetta.

Mauro Senise com Luiz Alves, Wagner Tiso e Robertinho Silva
com Luiz Alves, Wagner Tiso e Robertinho Silva

 

Em 2012, Mauro Senise completa 40 anos de carreira e lança o projeto “Afetivo”, com CD, DVD e uma embalagem especial contendo os dois produtos. Para esta celebração, Mauro reuniu todos os músicos que foram fundamentais na carreira dele: Egberto Gismonti, Hermeto Pascoal, Gilson Peranzzetta, Sueli Costa, Edu Lobo, Rosana Lanzelotte, Wagner Tiso, Robertinho Silva, Cama de Gato, Quinteto Pixinguinha, Zeca Assumpção, Luiz Alves, Paulo Russo, David Chew, Silvia Braga, Ivan “Mamão” Conti, Leo Amuedo e muitos outros.

Mauro Senise com Egberto Gismonti
com Egberto Gismonti

 

Em maio de 2013. Senise lança, pela Biscoito Fino, o 9º CD com Gilson Peranzzetta: “Jasmim”, gravado ao vivo na Igreja N.S. de Bonsucesso, no Rio de Janeiro, com participação especial do percussionista Amoy Ribas. Neste trabalho, Gilson e Mauro tocam seis músicas de Peranzzetta e seis do compositor catalão Federic Mompou.

Ainda em 2013, Mauro e Gilson Peranzzetta lançam o CD “Amazonas Band convida Gilson Peranzzetta e Mauro Senise”, gravado ao vivo no Teatro Amazonas durante o 7º Festival Amazonas Jazz. Outro CD gravado ao vivo em Amsterdam, com Senise e Peranzzetta, desta vez como convidados de Edu Lobo e da holandesa Metrople Orkest, também é lançado neste mesmo ano.

Mauro Senise com Deborah Colker
com Deborah Colker

 

Em 2014, lança o projeto “Danças”, que consiste numa embalagem contendo um CD onde Mauro convida os arranjadores e compositores Jota Moraes, Gilson Peranzzetta, Cristóvão Bastos e Antonio Adolfo, entre outros instrumentistas, e num DVD com quatro músicas gravadas no CD coreografadas e dançadas pela bailarina Deborah Colker e pelo ator Chico Diaz.

Em 2015, comemorando 25 anos de parceria com Gilson Peranzzetta, Senise lança o CD “Dois na Rede”, o 10º da dupla.
Em 2016, Senise lança o CD/DVD “Amor até o fim – Mauro Senise toca Gilberto Gil”, com a participação do próprio Gil em uma faixa. O repertório reúne canções de vários períodos da carreira do baiano, priorizando as que soam muito bem no formato instrumental. Cristóvão Bastos, Gilson Peranzzetta, Jota Moraes, Romero Lubambo, Leo Amuedo, Gabriel Geszti, Ricardo Costa, Zeca Assumpção, Mingo Araújo, Rodrigo Villa, entre outros instrumentistas de primeira linha, participam do CD.

Voltar para a página inicial